Artigos do Padre

24/03/2017 - SANTO INÁCIO DE LOYOLA

Santo Inácio nasceu em 1491 em uma fazenda chamada Loyola. Morreu em Roma em 1556. Era um comandante militar e foi ferido. Passou dois anos acamado. Finalmente lendo livros dos Santos decidiu dar tudo o que ele tinha aos pobres e andava a pé a uma caverna em Manresa, Espanha, jejuando e a final escreveu o livro que mais influenciou todo o mundo espiritual. O seu livro intitulado "Exercícios Espirituais" (1522) é o fundamento do todo o movimento dos retiros. Padre Haroldo usa o livro de Santo Inácio em seu apostolado incluindo o TLC, IPH, Amor Exigente e Yoga Cristã. Também em outros movimentos como a Renovação Carismática e Pastoral da Sobriedade, etc. Santo Inácio fundou os Jesuítas mandando Anchieta ao Brasil, que fundou a cidade de São Paulo em 1564. Simultaneamente mandou Francisco Xavier ao Oriente. Antes da sua conversão, ele namorava, passou algum tempo na cadeia e teve uma filha ilegítima. A sua conversão foi aquela de um dos maiores santos místicos da Igreja. Entre muitas outras coisas, escreveu: sobre o fim do homem e das criaturas, reino de Cristo, vida de Jesus, humildade, eleição e reforma da vida, paixão e morte de Jesus e a glorificação de Cristo na ressurreição. Contém também uma “Contemplação sobre o Amor Divino”. O esquema dos Exercícios é:

Na noite anterior de rezar: prepara a oração com uma vida honesta. Na hora da oração: oração preparatória, primeiro preâmbulo: composição do lugar. Segundo preâmbulo: graça desejada; a parte principal da oração em três etapas incluindo meditação – contemplação – misticismo espiritual; aplicação dos sentidos; conclusão das atividades: colóquio com entusiasmo – oração final – reflexão pós-oração.

“Contemplação para alcançar Amor” é um exercício dos “Exercícios Espirituais”. Destina-se a ajudar o exercitante a fixar tudo o que aprendeu e entendeu enquanto fazia os Exercícios, para que sinta profundamente o amor de Deus e, em troca, responda da maneira mais completa possível a esse amor no modo como leva a vida. Contém a tão repetida frase inaciana:”O amor deve consistir mais em obras do que em palavras”, que para Inácio é o sinal do amor verdadeiro. O encontro de Deus em todas as coisas é um discernimento espiritual inaciano. Inácio acreditava que Deus é encontrado não apenas na oração, mas também nos acontecimentos mundanos e comuns da vida. Esse discernimento, uma das graças alcançadas quando se faz os Exercícios Espirituais, foi o que levou Inácio a fundar uma ordem religiosa que atua no mundo, não separado dele, como era a tradição monástica do seu tempo.